Sugestão de Leitura | Wayfarers, vol. 2: A Vida Compartilhada em Uma Admirável Órbita Fechada, de Becky Chambers

Becky Chambers foi uma maravilhosa surpresa no gênero de ficção-científica que, na minha opinião, já estava ficando saturado demais com...


Becky Chambers foi uma maravilhosa surpresa no gênero de ficção-científica que, na minha opinião, já estava ficando saturado demais com sua carência absurda de representatividade. Se no primeiro volume da série Wayfarers, Becky me fez ter um crush por uma alienígena, em "A Vida Compartilhada em Uma Admirável Órbita Fechada", o segundo volume, ela me emocionou com a vida de uma Inteligência Artificial.

Caso você queira saber mais sobre o primeiro volume da série, clique abaixo:

Embora "A Vida Compartilhada em Uma Admirável Órbita Fechada" seja o segundo volume da série, ele funciona muito bem como um livro individual. Por isso, mesmo que você não tenha lido o primeiro volume, é possível compreender a estória tranquilamente.

A premissa da trilogia é que o cosmos é governado pelo Galactic Commons (GC). É este governo, que contém um representante de cada planeta, que estipula quais são as regras de navegação e comércio através do espaço sideral. Assim, para viajar longas distâncias, as naves podem acessar uma subcamada da matéria-escura e, através desta, criar um túnel, criando um buraco de minhoca artificial e bastante perigoso. Oito planetas compóem o GC: Terra, Marte, Aganon, Hagarem, Hashkath, Porto Coriol, Risheth e Sohep Frie.

Wayfarer é o nome da nave espacial que liga todas as estórias da série. Todas as personagens principais tem relação com a nave e seu trabalho de construção dos túneis.

Neste volume, a protagonista é Pepper. No livro anterior, Pepper aparece como coadjuvante na trama, responsável por fornecer peças e ferramentas para o conserto da Wayfarer e, também, ajudando Jenks a conseguir um corpo para Lovelace, a Inteligência Artificial (IA) da nave por quem ele se apaixonou. Infelizmente, as personagens do primeiro volume não aparecem aqui, o que me deixou saudosa, sobretudo de Sissix, minha crush.

O enredo é dividido em capítulos que alternam o tempo presente com flashbacks do passado de Pepper. No tempo presente, Pepper resgata a IA da Wayfarer e a coloca em um corpo que imita uma humana, e a esse corpo eles chamam de kit. O kit simula todas as funções do corpo humano, como pulmão, coração e expressões faciais. A IA, dentro do corpo, se dá o nome de Sidra. Pepper decide ajudar Sidra a se ajustar ao seu corpo e ao seu novo estilo de vida, o que se mostra muito complexo. Sidra, como IA, está acostumada a ser onipresente e onisciente e sente muita dificuldade em ficar "enclausurada" num kit. Além disso, kits são ilegais e tanto ela quanto Pepper precisam tomar cuidado para que ninguém descubra esse segredo.

Nos flashbacks, sabemos que Pepper, na verdade, é Jane 23. Ela é uma humana modificada geneticamente para trabalhar em fábricas de reaproveitamento de tecnologia, daí sua incrível habilidade para consertar naves. Todas as Janes - mais de 70 espécimes - foram desenhadas para este objetivo e possuíam a mesma aparência física. Havia também Beths, Marys e tantos outros "modelos", cada um especialista em uma determinada função. Jane só conhece a realidade de sua fábrica e o ambiente restritivo e punitivo dela. Um dia, a fábrica explode matando todas as Janes, mas ela consegue escapar e busca refúgio numa nave abandonada.
Nesta nave, Jane se apega a Owl, a IA, com quem mora por mais de dez anos, até conseguir reconstruir a nave para fugir daquele planeta.

Becky Chambers escreve as personagens de maneira incrível. É fácil se conectar às personagens, sejam elas alienígenas, humanas ou IAs. E, consequentemente, é fácil se emocionar com a estória. Pepper é personagem muito real, com suas falhas de caráter e suas motivações, e logo eu estava completamente ligada à sua jornada de reencontro da Owl. E, além disso, as "crises existenciais" de Sidra são muito coerentes e Becky extrapolou todos os desdobramentos do que é ser uma IA. Seu trabalho foi preciso e coeso, digno de figurar no hall dos melhores escritores que já li.

Assim, sem dúvida, recomendo muito a leitura não só deste livro, mas também do volume anterior. Nenhum fã de ficção-científica digno deste nome deve deixar de conhecer a maravilhosa Becky Chambers.

Avaliação do Perplexidade e Silêncio: 

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

0 comentários