Desafio Livros pelo Mundo | 3 Escritores Italianos que Você Precisa Conhecer

O Desafio Livros pelo Mundo tem como objetivo divulgar a literatura de países fora do eixo EUA-Inglaterra, para mostrar a diversidade d...



O Desafio Livros pelo Mundo tem como objetivo divulgar a literatura de países fora do eixo EUA-Inglaterra, para mostrar a diversidade de culturas e de estórias que existem. Como gosto bastante da literatura italiana, não consegui escolher apenas um livro e, por isso, este post recomendará três escritores da Itália.


E As Estrelas, Quantas São?, de Giulia Carcasi

Este livro é muito interessante, pois ele é escrito em dois pontos-de-vista. Se você começar a leitura pela capa da frente, a estória será contada por Alice. Se você começar a leitura pela capa traseira, a mesma estória será contada da perspectiva de Carlo. Eles são amigos e, ao conhecerem Giorgio e Ludovica, a relação de ambos começa a tornar-se distante, pois eles precisam lidar com os dilemas da adolescência e do início da vida adulta. 
Embora trate de situações cotidianas um tanto clichê desta fase coming-of-age, Giulia Carcasi tem uma escrita deliciosa. Ela é sensível, melancólica e assertiva ao construir suas personagens principais. A leitura flui e prende a atenção, pela maneira como Giulia coloca as frases e escolhe as palavras. Além disso, a forma como ela mudou as vozes da estória para criar dois pontos-de-vista foi linda. Uma pena ela não ter ficado tão famosa quanto o John Green.

A Solidão dos Números Primos, de Paolo Giordano

Publicado em 2008, este foi o primeiro livro de Paolo Giordano que, logo de cara, conquistou a atenção do mercado editorial italiano.
O livro narra a infância e o início da idade adulta de Mattia e Alice, que foram expostos a situações traumáticas durante todo esse período. Ambos são estranhos e, por isso, são comparados aos números primos, que são diferentes dos outros números. Eles se aproximam ao longo da narrativa, formando uma relação especial, mas não romântica. Em um determinado ponto do enredo, eles são forçados a se separarem e, depois, se reencontram, não conseguem expressar suas emoções um para o outro. Este relacionamento também é comparado aos números primos: sempre juntos, mas nunca se tocando.
Mattia se mutila quando está triste, o que dificulta ainda mais a aproximação de Alice. 
Como o enredo abarca muitos anos na vida das duas personagens, o leitor consegue entender a evolução (ou falta dela) de Mattia e Alice, tornando o reencontro deles algo muito emocionante.

Série Napolitana, vol 1: A Amiga Genial, de Elena Ferrante

Série Napolitana é composta de quatro volumes e o primeiro, "A Amiga Genial", foi publicado em 2012. Trata-se de uma estória coming-of-age e acompanha a vida, desde a infância até a vida adulta, de duas garotas de Nápoles, Lila e Lenu. Lenu é quem narra, em primeira pessoa, as vivências dela e de sua melhor amiga em um contexto de violência, pobreza e machismo da Itália.
Elena Ferrante introduz o cotidiano de Nápoles e, para isso, há uma série de personagens coadjuvantes que são fundamentais para a construção da narrativa. Por isso, o leitor precisa ficar atento a todas estas personagens, que desempenharão seus papéis ao longo do enredo. Lila e Lenu convivem com a família do verdureiro, com a família da charcutaria, com a família do marceneiro, com os Solara (a família mais rica e influente do bairro) e vários outros núcleos que surgem ao longo da leitura. Elas se deparam com assassinatos, traições, fugas e violência: Lenu observa à distância, com curiosidade quase científica, enquanto Lila vivencia tudo intensamente e bem de perto.
Para ler a resenha completa deste livro, clique aqui.

Você conhece algum(a) escritor(a) italiano(a) que não está nesta lista? Se sim, me conte, vou adorar saber!

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

4 comentários

  1. Que delícia de post, adorei!
    Eu AMEI A solidão dos números primos! Tbe gostei da Ferrante. Vou seguir sua dica e procurar o da Giulia Carcasi, que ainda nao conhecia. Adoro literatura italiana!
    Te recomendo Branca Como o Leite, Vermelha Como o Sangue, de Alessandro D'Avenia e todos do Alessandro Baricco, eu AMO!!
    Beijos
    www.maeliteratura.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?
    Conheci seu blog agorinha mesmo através de um post sobre anti-heróis. Dei uma pequena explorada e gostei. Principalmente por conta desse tipo de post, no qual você indica autores de determinado país.
    Série napolitana já tinha ouvido falar muito bem.
    Parabéns pelo blog, gostei bastante. Vou explorar mais um pouco hahah
    Um abraço.

    ResponderExcluir