Já Li #31 - Saga Mistborn, vol. 3: O Herói das Eras, de Brandon Sanderson

Sou fã de carteirinha do escritor Brandon Sanderson . Aqui no blog, já falei sobre As Três Leis dele, sobre seu incrível livro "El...


Sou fã de carteirinha do escritor Brandon Sanderson. Aqui no blog, já falei sobre As Três Leis dele, sobre seu incrível livro "Elantris" e sobre o início da Saga Mistborn, vol 1 e vol 2. Recentemente, li o terceiro volume desta saga e achei que ele merecia ter mais um post no meu humilde cantinho literário.

Para quem não viu o post sobre os dois primeiros volumes - "O Império Final" e "O Poço da Ascensão" - farei um breve resumo. O sistema mágico de Mistborn é baseado no domínio de alguns metais, ou seja, cada metal detém um determinado poder e apenas algumas pessoas são capazes de destravar alguns estes poderes. Por exemplo: estanho aguça os sentidos, peltre fortalece o corpo, e assim por diante. Ao longo da trama, aparecem quinze metais e seus respectivos poderes. Porém, apenas algumas raríssimas pessoas são Nascidas da Bruma (Mistborns) e podem controlar todos os metais. Tudo isso é chamado de poder alomântico ou alomancia.


A trama começa, no primeiro volume "O Império Final", com o protagonista Kelsier. Ele quer derrubar o governo eterno e opressor do Senhor Soberano, uma tirania que está em vigor há mais de mil anos e que escraviza a população mais pobre, chamados skaas, que não tem nenhum tipo de poder alomântico para se defender. Kelsier bola um plano impossível e tremendamente complexo e, para poder colocá-lo em prática, ele se alia a diversos contrabandistas, bandidos e foras-da-lei - todos eles super carismáticos e que ganham a empatia do leitor instantaneamente. Longe de serem personagens coadjuvantes irrelevantes, esta equipe permanece ao longo dos três livros, mantendo sua identidade e sua relevância para a estória.

No segundo volume "O Poço da Ascensão", Vin - uma das integrantes da equipe de Kelsier - ganha destaque e torna-se a protagonista. Ela é uma personagem feminina maravilhosa, longe de todos os clichês e de todos os machismos. Orfã, ex-moradora de rua e ladra, Vin se vê diante da imensa missão de perpetuar o legado de Kelsier. Para isso, ela precisa não apenas aprender a comandar e liderar pessoas, como também precisa treinar seus poderes alomânticos recém-descobertos. Mesmo seu relacionamento amoroso com Elend, um nobre com pensamentos progressistas e a favor dos skaa, não a torna menos profunda (como normalmente acontece nos romances, onde amar enfraquece a mulher ao invés de fortalecê-la.)

Na conclusão da trilogia "O Herói das Eras", o foco da narrativa gira suavemente para a figura de Elend. Sua essência predominantemente acadêmica e filosófica entra em choque com seu posto de Imperador dos novos tempos, pois ele se vê diante de escolhas difíceis e cheias de aspectos morais. Vin, com seu espírito mais pragmático e combativo, tenta ajudá-lo ao mesmo tempo que precisa combater as forças do Mal liberadas do Poço no livro anterior. 
Além disso, neste volume, Brandon Sanderson finalmente começa a aprofundar e explicar uma série de criaturas e profecias que foram mencionadas nos volumes anteriores. Por exemplo: em toda a trilogia, o Império é ameaçado pelos koloss, criaturas mistas de bestas com seres humanos extremamente violentas e sem nenhum tipo de pensamento aparente; porém, neste volume, o leitor compreende as origens e o funcionamento destas criaturas. Há também uma série de profecias e trechos do diário do Senhor Soberano espalhados por toda a trilogia; mas só neste volume tais citações fazem sentido e ganham uma ordem cronológica.

Tive receio de que Brandon Sanderson não fosse dar um fechamento apropriado a todos os elementos da trilogia, mas ele fez isso com maestria. Há uma grande participação de dois dos meus coadjuvantes preferidos, Sazed e Tensoon, ambos criaturas mágicas distintas que fizeram toda a diferença na estória. 

Mais do que nunca recomendo esta saga como sugestão de leitura. Brandon Sanderson é um dos melhores escritores de Fantasia da atualidade e merece ser lido e relido. Ele é brilhante e a saga Mistborn é uma das melhores que já li.

Avaliação do Perplexidade e Silêncio: 

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

0 comentários