Quero Ler #2

Por onde os livros me levarem, é para lá que eu vou!  A Biblioteca Mágica de Bibbi Bokken - Jostein Gaarder  e Klaus Hagerup ...



Por onde os livros me levarem, é para lá que eu vou! 


A Biblioteca Mágica de Bibbi Bokken - Jostein Gaarder  e Klaus Hagerup

Atualmente, estou lendo "O Mundo de Sofia" de Jostein Gaarder e falarei deste livro em breve. Foi ele que me fez chegar à outra obra de Gaarder e a tal da biblioteca mágica. Gaarder é norueguês e este é mais um livro dele que se passa no país, assim como é mais um livro sobre crianças desvendando um mistério. Dois primos começam a seguir uma bibliotecária esquisita e, em sua caixa de correio, descobrem algumas correspondências anônimas falando sobre uma biblioteca onde existem todos os livros ainda não escritos no mundo. As duas crianças, então, decidem ir atrás não só da bibliotecária (a Bibbi do título) como também querem saber como é esta biblioteca mágica.

Pela sinopse, o livro parece encantador e inocente, além de ser perfeito para a imaginação de quem é viciado em livros.


O Apanhador no Campo de Centeio - J. D. Salinger

O Apanhador é um livro sobre o fim-de-semana de um garoto de dezesseis anos, Holden Caulfield, que decide relatar sua opinião e seu ponto-de-vista sobre as experiências que passou no internato para rapazes onde reprovou em todas as matérias. Retornando para casa neste fatídico fim-de-semana, ele começa a refletir sobre seu futuro e suas escolhas. Falando assim, parece tratar-se de um diário adolescente meio bobinho, mas aí está o que é interessante sobre este livro: ele é amargo e revela todas as maldades e asperezas escondidas nas pessoas, como se colocasse uma lente de aumento nos comportamentos de todos. Mesmo tendo sido escrito em 1951, até hoje influencia as gerações em sua forma de pensar e de ver o mundo. 

Se não fosse pelo "Apanhador", hoje não haveria mercado nem público para "As Vantagens de ser Invisível", por exemplo, pois foi o livro que abriu as portas para a reflexão sobre ser jovem. Antes de "Apanhador", o único livro com relevância neste nicho foi "Os Sofrimentos do Jovem Werther", escrito por Goethe em 1774 - ou seja, muito distante da realidade atual.

Americanah - Chimamanda Ngozi Adichie

Falei sobre Chimamanda neste artigo para a Obvious Magazine, e lá fica claro porque meu interesse foi despertado pela literatura dela. Além de escritora, Chimamanda é ativista pelos direitos igualitários das mulheres e ela se faz ser ouvida através de suas obras literárias.

Americanah é a narrativa de uma negra nigeriana, chamada Ifemelu, que se muda para os Estados Unidos com o objetivo de estudar e trabalhar. O livro conta as dificuldades raciais e de gênero que Ifemelu passa no novo país, os preconceitos com suas origens e com o fato de ser mulher e vai narrando como ela supera os obstáculos. A estória também fala do seu relacionamento amoroso com Obinze, um nigeriano que imigrou ilegalmente para Londres.

Qualquer semelhança com a realidade da própria autora não é nenhuma coincidência.



Tem algum livro para sugerir nesta sessão? Mande mensagem na página do Facebook do Perplexidade e Silêncio!

Quero Ler #1

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

1 comentários

  1. Olá! Gostei do seu blog, achei ele bem original e de nome bacana! ^^
    Dos livros que você deseja ler só conheço um pouco de O Apanhador no Campo de Centeio, os outros nunca ouvi falar, mas gostei da capa de Americanah.
    xoxo
    Bookmore

    ResponderExcluir