O livro ou o filme? | Palo Alto, de James Franco

Palo Alto é uma coletânea de contos escritos pelo ator James Franco. Os contos foram adaptados para um longa metragem em 2013, dirigido...


Palo Alto é uma coletânea de contos escritos pelo ator James Franco. Os contos foram adaptados para um longa metragem em 2013, dirigido pela neta de Francis Ford Coppola, Gia Coppola, que estreiou na direção com apenas 25 anos de idade. Este post, então, é sobre estas duas obras.

A coletânea de contos foi publicada em 2010 e as estórias giram ao redor de adolescentes californianos, da cidade de Palo Alto. Estas estórias foram baseadas tanto em memórias pessoais do próprio James Franco como em relatos cedidos por adolescentes da Palo Alto Senior High School. 

O livro é dividido em duas partes - Palo Alto I e Palo Alto II - e composto, no total, por 12 contos, todos narrados em primeira pessoa pelo adolescente protagonista daquele acontecimento. São recortes do dia-a-dia deles, portanto, não há começo nem fim nas estórias, pois os contos se concentram em momentos significativos da vida deles. Assim, os contos falam basicamente sobre drogas, sexo, violência e preconceito, trazendo cenários e situações bastante pesadas e desconfortáveis. Os contos tem uma narrativa fluida, rápida e interessante, e o leitor não se cansa da leitura, pois há sempre algo inesperado ou forte acontecendo.

Pessoalmente, me surpreendi com a escrita de James Franco e gostei bastante da forma ágil e dinâmica que ele conta as estórias, sem deixar de lado sutilezas e detalhes que fazem os contos tornaram-se sentimentais e profundos.

O conto "Emily", com a personagem principal de mesmo nome, foi inteiramente colocado no filme de Gia Coppola. No filme, também foram inseridos as personagens April (intepretada pela Emma Roberts), Teddy e Fred do conto "April", assim como alguns elementos do conto "Jackie-O". O próprio James Franco aparece no filme, interpretando um treinador de softball pedófilo, que tem um caso com April.

O filme manteve a atmosfera tensa e pesada dos contos, mas trouxe mais vida e identidade às personagens adolescentes, tornando-os mais carismáticos e próximos do espectador. Os atores adolescentes fazem um ótimo papel, sendo, ao mesmo tempo, perturbados e violentos, amáveis e frágeis. Emma Roberts está perfeita como April. Além disso, Gia Coppola (também roteirista do filme) fez um excelente trabalho ao juntar vários fragmentos de diversos contos, tranformando a estória em algo maior e com começo-meio-fim, sem deixar de lado as sutilezas e a melancolia que há nos contos.

O livro ou o filme? Precisei de um certo tempo para digerir esta pergunta, pois, na realidade, gostei muito de ambos. Mas, depois de ponderar, prefiro o filme. Achei que o filme completou as lacunas que os contos não foram capazes de preencher, como, por exemplo:  a atmosfera de Palo Alto, o clime e a ambientação das festas e da escola e, principalmente, a profundidade das personagens. O filme explora muito mais as personalidades de April, Fred, Teddy e Emily e, por causa disso, consegui entender muito mais as motivações, os medos, os desejos e os conflitos de cada um. Senti que Gia Coppola deu vida às personagens que James Franco criou.

Para quem ficou curioso sobre o filme, o trailler pode ser visto aqui:


Posts Relacionados

Comente com o Facebook

4 comentários

  1. OLAR.
    Olha só quem voltou pro mundo dos vivos (e conectados). Isso mesmo, euzinhe. <3
    ACHO que conheço o filme pelo título, mas quase não reconhecia a sua existência e definitivamente não sabia que tinha um livro. Mesmo você falando que prefere o filme, eu fiquei com muita curiosidade de fazer que nem você e comparar as duas mídias. As histórias parecem intensas e interessantes, e eu adoro crônicas que compartilham um mesmo cenário. Deixa a gente com aquela sensação de que todas as milhões de pessoas que passam pelo mesmo lugar têm histórias próprias e são suas protagonistas, e resulta naquela simpatia automática por todos os personagens compartilharem algo em comum, mesmo que seja apenas o lugar. <3
    Sentimentaligrafia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você descreveu muito bem qual é o sentimento, é exatamente isso: a gente sai da obra prestando atenção em todos ao nosso redor, porque cada um parece ter uma estória incrível para ser contada!

      Excluir
  2. Eu queria comprar o livro dele como que eu faço?

    ResponderExcluir
  3. Eu queria comprar o livro dele como que eu faço?

    ResponderExcluir