Já Li #1 - O Apanhador no Campo de Centeio, de J. D. Salinger

Pretendo, posteriormente, fazer um post mais extenso e mais detalhado sobre esta obra, pois ela é, de fato, um marco na geração adolesce...


Pretendo, posteriormente, fazer um post mais extenso e mais detalhado sobre esta obra, pois ela é, de fato, um marco na geração adolescente da literatura. Mas, enquanto este post não chega, vamos inaugurar a sessão Já Li aqui no Perplexidade e Silêncio.

Este livro prometia ser uma grande leitura. Fazia anos que eu ouvia falar dele e, finalmente, resolvi lê-lo. Comprei um exemplar no sebo, de uma edição da década de 60, cheirando a papel antigo e me debrucei: li em três dias.

O "Apanhador" é um livro sobre o fim-de-semana de um garoto de dezesseis anos, Holden Caulfield, que decide relatar sua opinião e seu ponto-de-vista sobre as experiências que passou no internato para rapazes onde reprovou em todas as matérias. Retornando para casa neste fatídico fim-de-semana, ele começa a refletir sobre seu futuro e suas escolhas. Falando assim, parece tratar-se de um diário adolescente meio bobinho, mas aí está o que é interessante sobre este livro: ele é amargo e revela todas as maldades e asperezas escondidas nas pessoas, como se colocasse uma lente de aumento nos comportamentos de todos. Mesmo tendo sido escrito em 1951, até hoje influencia as gerações em sua forma de pensar e de ver o mundo. 

Se não fosse pelo "Apanhador", hoje não haveria mercado nem público para "As Vantagens de ser Invisível", por exemplo, pois foi o livro que abriu as portas para a reflexão sobre ser jovem. Antes de "Apanhador", o único livro com relevância neste nicho foi "Os Sofrimentos do Jovem Werther", escrito por Goethe em 1774 - ou seja, muito distante da realidade atual.

Sabe quando você está querendo ler um livro que marque, que fique na cabeça? Pois fazia um tempo que eu vinha procurando por este tipo de livro, e o "Apanhador" fez jus à sua fama.
J.D. Salinger criou uma personagem extremamente cativante, pois o Holden Caulfield reúne carisma, uma veia cômica, fofura (!), melancolia e sensibilidade. É como se ele se tornasse um amigo próximo, de quem você sente saudades quando o livro acaba e gostaria de ter notícias para saber se está bem, se superou os problemas e se a vida melhorou.

Para quem gosta do estilo "As Vantagens de Ser Invisível", é uma leitura imperdível! Considerei como Ótimo e vai virar Sugestão de Leitura, com maiores detalhes e trechos, muito em breve!

Post relacionado: Fiz um vídeo onde falo mais sobre "O Apanhador no Campo de Centeio", que pode ser visto aqui.

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

1 comentários

  1. Olá, Ruh!

    É incrível como a vida funciona, né? rs. Eu já tinha ouvido falar no livro (muito bem, por sinal) e decidi colocá-lo em um de meus desafios literários este ano. Agora vejo mais e mais e mais opiniões positivas sobre ele aonde quer que eu vou! E isso não é ruim: é ótimo! Posso ter contato com mais opiniões e saber mais ou menos o que esperar (e, quem sabe, me surpreender!).

    Como está a sua relação quero ler x lidos? Este é meu problema com a lista de desejados, não consigo parar de colocar livros nela! xD Por isso, decidi que esse ano a coisa vai ser diferente! Vou ler os meus e continuar na reabilitação, rs!

    Um grande abraço e parabéns pelo blog!

    Ana Carolina Nonato
    Blog Seis Milênios
    http://seismilenios.blogspot.com

    ResponderExcluir