Rory Gilmore Book Challenge | A Vida Secreta das Abelhas, de Sue Monk Kidd

Ao longo do seriado Gilmore Girls, são mencionados  340 livros e este desafio é sobre ler todos eles. Para saber quais livros do desafi...


Ao longo do seriado Gilmore Girls, são mencionados 340 livros e este desafio é sobre ler todos eles. Para saber quais livros do desafio o Perplexidade e Silêncio já leu, clique aqui (alguns posts são feitos para outras sessões do blog, mas fazem parte da lista de livros da Rory).
O livro escolhido da vez foi "A Vida Secreta das Abelhas", de Sue Monk Kidd, e que foi adaptado para o cinema em 2008.

"Não há nada como uma música sobre o amor perdido para nos lembrar que todas as coisas preciosas podem desaparecer com facilidade de onde foram postas com tanto cuidado." (A Vida Secreta das Abelhas, Sue Monk Kidd)

A estória do livro acontece em 1964, na Carolina do Sul. O pano de fundo do enredo fala sobre os Direitos Civis dos negros que, a partir daquele ano, são considerados cidadãos americanos e podem votar. Porém, apesar do progresso desta emenda constitucional, o racismo e preconceito ainda estão profundamente enraízados na sociedade e na mentalidade das pessoas, colocando os negros em situações violentas, absurdas e radicais.

Lily, uma menina branca de quatorze anos, resolve fugir de casa com sua governanta negra Rosaleen. Lily descobre que matou acidentalmente sua mãe quando tinha quatro anos e, por isso, seu pai nutre ódio por ela, maltratando-a física e psicologicamente. Além disso, seu pai conta que sua mãe a abandonou e, não querendo acreditar em tudo isso, ela decide fugir. Neste meio tempo, Rosaleen vai presa injustamente, por ser negra, e alguns homens da cidade estão querendo matá-la pelo mesmo motivo. Lily liberta Rosaleen da prisão em sua fuga e, juntas, elas vão para a cidade de Tiburon.

“A centrífuga separa o mel. Tira a parte ruim e deixa a parte boa. Eu sempre achei que seria ótimo ter centrífugas assim para os seres humanos. Era só jogá-los aí dentro e pôr a máquina para funcionar.” (A Vida Secreta das Abelhas, Sue Monk Kidd)

Uma das poucas lembranças que Lily tem de sua mãe consiste em uma garrafinha de mel, com a imagem de uma Maria negra no rótulo, com a anotação do nome desta cidade, Tiburon. Ela acredita que lá irá encontrar pistas sobre sua mãe e foge para lá. Quando chega na cidade, ela descobre o que o endereço é uma fábrica caseira de mel onde vivem três irmãs (August, May e June) e o afilhado de August, Zach, por quem Lily se apaixona. Todos eles são negros e apenas Lily é branca, o que é trazido à tona diversas vezes ao longo do enredo, em virtude do contexto de racismo que mencionei no início do post.

Sue Monk Kidd começa cada capítulo da estória com explicações e notas sobre a vida das abelhas. A
forma como estas explicações são lindas analogias à vida de Lily torna o livro muito sensível. Conforme a garota se integra à vida das três irmãs, ela passa a ter responsabilidades sobre a produção do mel e sobre o funcionamento das colméias e, a partir disso, ela tira lições para si mesma.

"Senti que tinha descoberto um segredo incrível: era possível fechar os olhos e sair da vida sem morrer de verdade. Bastava desmaiar. Só que eu não sabia como provocar o desmaio, como puxar a tomada para poder sumir quando precisasse." (A Vida Secreta das Abelhas, Sue Monk Kidd)

O foco do livro é sobre a trajetória de Lily na conquista de uma família na qual ela realmente se sinta amada e desejada. Ao ser adotada pelas irmãs da fábrica de mel, Lily consegue uma redenção pelo acidente com sua mãe e consegue se livrar do abuso do pai. Mais importante do que o leitor descobrir o que realmente aconteceu com a mãe de Lily, é acompanhar a evolução dela, que começa o livro como uma criança assustada e termina a estória como uma jovem determinada. É uma daquelas estórias que emocionam e nos fazem refletir sobre nossos sentimentos e, por isso, recomendo a leitura.

Avaliação do Perplexidade e Silêncio: 

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

2 comentários

  1. Sabe que eu solicitei esse livro em uma troca no Skoob, mas nem sabia do que se tratava, apenas tinha ouvido elogios à autora. E também depois que chegou aqui, não peguei pra ver a sinopse, que vergonha :/
    Mas fiquei bem interessada por ele agora vendo sua resenha. Já me apaixonei pelo primeiro quote.
    Gosto de livros mais sensíveis, com histórias que nos tocam de alguma forma e faz tempo que não leio nenhum do tipo.
    Vou ver se dou uma chance para esse em breve :)
    Muito boa sua resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliana!

      É uma leitura muito bonita e bastante agradável. O ritmo da escrita de Sue é gostoso, pois ela alterna momentos de humor leve com cenas mais dramáticas. Tenho certeza de que você não vai se arrepender de ter pegado este livro no Skoob.

      Obrigada pela visita e volte sempre! (:

      Excluir