Já Li #10 - Boris Vian e Frances Hodgson Burnett

O Já Li nº 10 está, eu diria, melancólico. Engatei na leitura de dois livros de ficção e de literatura estrangeira: um francês (e bastan...

O Já Li nº 10 está, eu diria, melancólico. Engatei na leitura de dois livros de ficção e de literatura estrangeira: um francês (e bastante surreal) e outro inglês (e infantil). Ambos sensíveis e com temas profundos. 
A Espuma dos Dias - Boris Vian

Este livro é de 1947, escrito pelo francês Boris Vian logo depois do fim da Segunda Guerra Mundial. Ele era participante ativo de círculos de discussões filosóficas e teatrais e, talvez por isso, o livro é repleto de analogias e metáforas simbólicas. Por exemplo: ao longo da estória, que torna-se triste, a casa do protagonista encolhe, como uma referência ao próprio encolhimento da alegria dele. E por aí vai.
O livro fala da estória de seis personagens que tem seus destinos estrelaçados, mas com foco maior no relacionamento de Colin e Chloé. Eles se conhecem em uma festa com ares bem tipicamente franceses e, depois de casados, descobrem que Chloé tem uma doença séria e rara: uma flor está nascendo em seu pulmão. A partir desta notícia, todas as dinâmicas entre as seis personagens mudam gradativamente, como reflexo da tristeza que se abate naquele grupo de amigos.
É de extrema importância que o leitor se envolva com as analogias e surrealismos da narrativa, pois elas são cruciais para o entendimento da estória. Além disso, um leitor desatento pode facilmente se perder e se desinteressar pelo livro, exatamente porque ele tem um pé no real e outro no inventado. 
Achei um livro bonito, sensível e muito melancólico, porém, não o achei tão bem escrito. Acredito que tenha faltado ao escritor um maior envolvimento com a prosa - ele era acostumado a escrever poesia e, ao escrever esta ficção, foi sucinto demais. Sei que há um filme adaptado deste livro, inclusive sendo exibido pelo Netflix, e tentei assisti-lo duas vezes. Em ambas, não consegui passar dos quinze minutos iniciais, pois o surrealismo do filme estava muito acima do que aparece no livro (e, para ser honesta, muito acima da minha paciência também).
O Jardim Secreto - Frances Hodgson Burnett

Este é um livro clássico da literatura inglesa, destino às crianças, mas bastante maduro no conteúdo. O livro gira em torno de Mary Lennox que perdeu os pais em um incêndio, quando eles moravam na Índia. Vinda de família rica e acostumada a ter servos lhe fazendo todas as vontades, Mary estranha a nova vida na Inglaterra, quando vai morar com seu tio e, agora, tutor. Para se distrair, Mary decide desvendar o mistério de um jardim secreto que está fechado há mais de dez anos e onde ninguém tem autorização para entrar.
Neste meio tempo, ela faz amizade com dois garotos: o filho de uma das governantas, Dickon, e seu primo, Collin. Ambos não poderiam ser mais diferentes e Mary precisa aprender a lidar com os dois, além de extrair de cada um o que eles tem de melhor.
É livro que fala sobre o choque de realidade com o mundo, sobre lidar com frustrações e fracassos e sobre crescer e amadurecer. É uma leitura muito interessante, principalmente para crianças entre 7 e 10 anos, pois pode mostrar a elas certos ensinamentos valiosos para seu desenvolvimento. Recomendo a leitura.

Obs aleatória: só agora percebi que os protagonistas dos dois livros chamam-se Colin. 

Já leu algum destes livros ou tem algum para indicar? Deixa aí nos comentários!

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

2 comentários

  1. Olá Ruh
    Muiito Obrigada por todo o carinho lá no blog viu
    Seu blog é lindo e muito profissional Parabéns

    Enquanto aos livros , eu morro de vontade de ler
    estão nas minhas leituras para 2016 , quero muito ler O Jardim Secreto <3
    Beijos
    e Sucesso sempre <3
    Beijos
    http://diariodabrunamacena.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina, Bruna, realmente gostei lá do seu cantinho, bem fofo!
      Leia "O Jardim Secreto" sim, é bem legal. Você não vai se arrepender ;-)
      Beijoos!!

      Excluir