Além da Literatura | Os Objetivos das Personagens

Uma das partes principais de uma estória é o conflito central das personagens. Se tal conflito é fraco ou mal estruturado, temos a sen...


Uma das partes principais de uma estória é o conflito central das personagens. Se tal conflito é fraco ou mal estruturado, temos a sensação de que a estória é chata, entediante e de que as personagens são sem graça. E, para termos um bom conflito, é essencial que as personagens tenham objetivos, e é sobre eles que falarei neste post.
Um dos objetivos mais fáceis de visualizarmos é o da sobrevivência. Principalmente em estórias de ação, em algum momento as personagens lidarão com ameaças à sua vida e integridade e, quando tal estória é bem planejada, sofremos junto com elas na eminência da morte. As personagens enfrentam ameaças de todos os tipos e, quando tais ameaças são superadas, as personagens tornam-se heróis aos olhos do espectador/leitor. Como exemplo deste objetivo, podemos citar a saga "Jogos Vorazes", de Suzanne Collins. Nesta, não só as personagens principais como também as secundárias precisam superar as adversidades impostas pela Capital, não somente nos Jogos Vorazes como na sociedade como um todo.

Em um nível imediatamente acima, encontra-se o objetivo de obter segurança. Aqui, as personagens já sobreviveram ou sobrevivem à alguma tragédia e precisam concentrar-se no próximo passo, que é cuidar de si mesmos e das pessoas que lhes são importantes, dentro deste cenário/contexto externo que já está estabelecido. Como exemplo, podemos pensar no início da saga "Maze Runner", de James Dashner.  Quando os adolescentes vêem-se presos no Labirinto, eles começam a estruturar uma sociedade na Clareira, com o objetivo de cuidarem das atividades da vida cotidiana (comer, dormir, se abrigar da chuva, etc) e manterem-se a salvo naquela realidade.

Normalmente, as pessoas se reconhecem quando as personagens tem como objetivo o amor. E, quando digo "amor", quero dizer no sentido amplo da palavra, ou seja, a necessidade que todos os seres humanos tem de construir relacionamentos interpessoais e de pertencer a algum grupo. Numa estória, as personagens sempre possuem relacionamentos, porém, não necessariamente elas são movidas por ele. No caso deste objetivo, é o amor que as move a agir e reagir. Como exemplo, há o "O Conde de Montecristo", de Alexandre Dumas. Nele, Edmond Dantès é um marinheiro que ficou durante anos preso injustamente numa solitária e, quando enfim consegue fugir, ele é movido pelo amor pela ex-mulher e por sentimentos de vingança. (Aliás, este livro é ótimo, super recomendo!).

Grande parte dos heróis das estórias é movido pelo objetivo de fazer a diferença na vida das pessoas ou de conquistar o respeito dos demais. Estas personagens buscam estima, independência, conquistas, apreciação e crédito pelas suas ações. Quando não conseguem atingir tais objetivos, demonstram um lado frustrado e amargo, que precisa rapidamente ser compensado ou tolerado. Como exemplo, pensei no segundo Homem Formiga, Scott Lang, interpretado pelo Michael-Marido-da-Phoebe (: no filme recente. O principal motivador para ele, na HQ e no filme, é ele tornar-se um bom exemplo para sua filha e conquistar sua admiração e respeito.

Este é meu tipo favorito de objetivo das personagens. Neste caso, a personagem quer desafiar e superar a si mesma. Seus principais obstáculos são suas próprias limitações e dificuldades e, geralmente, o clímax da estória aparece quando a personagem consegue, enfim, uma epifania. Mesmo que a personagem conquiste grandes feitos, ela não fica satisfeita até que alcance o seu potencial completo. E, lógico, na hora pensei no Kvothe de "A Crônica do Matador do Rei", de Patrick Rothfuss. Por mais que ele consiga executar feitos que ninguém mais conseguiu, ele não fica satisfeito, porque ele sente que tem poder para fazer sempre mais. Falei sobre este livro com detalhes aqui.


Se você fosse uma personagem, de que tipo seria seu objetivo?

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

4 comentários

  1. De fato o objetivo Potencial é bem bacana. Acho que com ele é mais perceptível o "durante" do desenvolvimento do personagem. E eu quero muito ler esse livro!
    Estou lendo Memórias de uma Gueixa e estou bem no ponto em que a protagonista diz ter encontrado seu objetivo na vida, após o ato gentil de um homem desconhecido, porém bondoso. E é justamente essa virada na vida dela que faz a história tomar rumo e me cativar tanto. Acho que nesse caso é uma mistura de todos os que você colocou, em maior ou menor nível, mas ainda assim.
    Como sempre, um post super interessante (:

    sobrelivroseletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca li Memórias de uma Gueixa! Com certeza vou esperar sair post no seu blog sobre ele! Essa virada pareceu interessante!

      Excluir
  2. Oi, moça!

    Gostei muito dessa postagem, nossa. Engraçado como eu quase nunca penso nessas coisas na literatura. Por isso, amo seu cantinho! <3
    Achei que os exemplos casaram muito bem. Se eu fosse uma personagem gostaria do Potencial e da Segurança (porque acho que faltam essas coisas em mim e que busco na minha própria vida, rs).

    P.S.: desculpe a enorme demora em colocar meus comentários aqui em dia; apesar de eu estar de férias da faculdade, acredita que tô mais cansada do que antes? Quando chego do trabalho só tenho vontade de jantar e dormir D:

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn obrigada flor! Acho que é mania de psicóloga querer explicar o que está por trás de tudo, sabe hehe
      Sim, potencial e segurança, super entendo <3
      Hahahaha imagina, eu entendo esse estado de cansaço eterno, fique tranquila!

      Excluir