Como escrevo um livro #1 : Construção de Personagens

O que me motiva a escrever um livro e lidar com todos os desafios e comprometimentos do processo são as personagens. Para mim, a parte m...


O que me motiva a escrever um livro e lidar com todos os desafios e comprometimentos do processo são as personagens. Para mim, a parte mais gostosa é criar as personalidades, os nomes, os desejos e pensamentos, os trejeitos e características de quem fará parte da minha estória. Normalmente, o que primeiro me vem à mente são as personagens e, depois, o enredo em si. 

Na hora de construir uma personagem, as principais preocupações do escritor referem-se à consistência que ela terá ao longo na narrativa. As personagens são a parte fundamental de conexão emocional do leitor com a obra, portanto, se elas são fracas ou incoerentes, o leitor desistirá do livro. É necessário despertar vínculo com o leitor, através de empatia com as personagens, admiração e até mesmo ódio.

Para garantir que as personagens sejam reais e sólidas, há uma técnica chamada de Board. Nele, o escritor faz uma descrição de todas as características das personagens (físicas, emocionais, psicológicas, etc) e, também, quais serão os relacionamentos entre as personagens ao longo da narrativa.

J. K. Rowling, há algum tempo atrás, divulgou o board dela, onde ela anotava as características das personagens e a Linha do Tempo delas ao longo da estória. Afinal, no caso dela, foram mais de dez anos escrevendo Harry Potter.
O cuidado e organização dela na construção de personagens e da Linha do Tempo de cada uma, com certeza, é um dos fatores primordiais do sucesso de sua obra. Isto claramente comprova que, para ser escritor, não basta ter uma mente criativa. É preciso trabalhar, e muito, para que a estória seja boa.

Meu board de construção das personagens do meu novo livro  é um pouco mais simples. Na estória, existem cinco personagens: uma protagonista, Virgínia; uma coadjuvante, Sofia; e mais três outros "seres" que trazem a base de fantasia para o enredo: Universo, Tempo e Destino.

Para cada personagem, listei quatro características de personalidade. Ou seja, a cada conflito ou situação, eles deveriam agir e reagir de forma condizente a quem eles são - afinal, se fossem pessoas de verdade, haveria um certo fio condutor entre as ações, certo? 


Também fiz todas as relações entre as cinco personagens, ou as chamadas intersecções. E, nestas intersecções, quais seriam as motivações de cada um, seus objetivos e o que buscariam ao longo da trama.


Somente depois de ter finalizado este board, parti para escrever a estória propriamente dita. É claro que, dentro da minha cabeça, eu já sabia mais ou menos como ela seria, mas foi somente a partir da construção das personagens que as situações do enredo ficaram claras para mim.

E sim, escritores se apegam às suas personagens como se fossem amigos próximos. Afinal, para nós, eles são tão reais quanto eu ou você. Já dizia Dumbledore: "Naturalmente está acontecendo dentro da sua cabeça, Harry, mas por que isto deveria significar que não é real?"

Fiquem atentos pois, em breve, voltarei contando a segunda parte de como escrevo um livro.

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

2 comentários

  1. Adorei as dicas e foram de grande importância para mim. Beijos!

    www.escritoraporumacaso.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenham sido úteis para você, Vitoria! (:

      Excluir