Já Li #6 - Jack London e Robert W. Chambers

Nos resumos das leituras de hoje, ambos os livros me foram dados de presente por pessoas muito essenciais na minha vida. O "Chamado...


Nos resumos das leituras de hoje, ambos os livros me foram dados de presente por pessoas muito essenciais na minha vida. O "Chamado Selvagem" foi traduzido pela Clarice Lispector e meu namorado me deu neste lugar incrível que conhecemos tempos atrás. E o segundo livro, o "Rei de Amarelo", me foi dado de presente pela minha gêmea Deborah, com direito a dedicatória e colorimento em amarelo do rei. Logo, ambos os livros são muito especiais na minha estante!



Chamado Selvagem, de Jack London

O autor, Jack London, passou um período da sua vida nos garimpos de ouro do Norte do Canadá e este foi o cenário que o inspirou a escrever "Chamado Selvagem". A estória é narrada pelo cachorro Buck, que é sequestrado de seu antigo lar para ser um dos cachorros de uma matilha que transporta os mineradores para o Canadá, em meio a um frio intenso e por milhares de quilômetros, em condições extremas.
Aos poucos, Buck torna-se o líder da matilha e começa uma transformação de cachorro doméstico para cão selvagem.
As pessoas são tratadas em segundo plano, numa inversão de papéis: os cachorros da estória possuem personalidades, opiniões, pensamentos e sentimentos, enquanto os humanos são meros acessórios da narrativa. Mas, engana-se quem pensa que, por ser narrado o cachorro, a obra seja "fofa" ou "infantil". Muito pelo contrário: é uma narração que envolve violência, instintos animais e que faz uma crítica à forma como as pessoas são. É um livro denso, embora curto, e me lembrou muito o filme "Na Natureza Selvagem".


O Rei de Amarelo, de Robert W. Chambers

Este livro é uma coletânea de dez contos escritos na metade do século 19. Os contos misturam um pouco de "terror" psicológico (um pouco de suspense e um pouco de mistério, adicionados) e um ambiente fictício que, às vezes, torna-se surreal. 
Os últimos contos são mais realistas e tem finais ambíguos, em contraponto com os contos anteriores, que tem um estilo mais Edgard Allan Poe. 
Em quatro destes contos, menciona-se uma peça teatral e um livro, que é o "Rei Amarelo". Fala-se muito de como as pessoas tornaram-se imorais e loucas depois de o lerem, mas, infelizmente, não se conta qual é a estória do Rei. Fiquei esperando por maiores detalhes, e fiquei um pouco frustrada quando eles não vieram. Mas isso, de forma alguma, empobrece o livro, pois os contos são muito bons e prendem a atenção do leitor.

Tem algum livro para me indicar ou já leu algum destes e quer deixar sua opinião? Vou adorar ler seu comentário, deixa aí! (:

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

0 comentários