Dois contos de Nina Spim

De vez em quando, a internet nos presenteia com algumas surpresas interessantes, e conhecer a Nina Spim foi uma delas. Compartilhamos ...



De vez em quando, a internet nos presenteia com algumas surpresas interessantes, e conhecer a Nina Spim foi uma delas. Compartilhamos várias coisas em comum e acredito que a maior delas seja nosso objetivo de nos tornarmos escritoras publicadas. Nina costuma escrever sobre relacionamentos, amores e desamores, e muitos textos dela já me emocionaram.
Agora, Nina colocou na Amazon dois contos e está participando do #brasilemprosa. Para quem gosta do gênero, segue os detalhes de ambos os contos e, também, o link para download.


Imersão

Sinopse:
Os dias difíceis parecem normais para todos, certo? Mas, no caso de Lou, um dia difícil é muito mais do que isso. É uma luta constante contra si mesma e seus demônios invisíveis. Caio, seu marido, a aceita como é e muitas vezes precisa ser firme. O que é a depressão para você? Até quando você poderia vê-la desgastando a pessoa que mais ama?

Para ler no Kindle, clique aqui.

O conto se inicia com uma cena de abraço, daquelas que nos dá vontade de que fosse conosco. Pouco depois, percebemos que aquele abraço tem uma primeira camada, a do aborto espontâneo, e uma segunda camada, a da depressão de Lou. Estes dois assuntos, embora pesados, nos são apresentados com muita delicadeza por Nina e, portanto, não nos assusta. Neste conto, Nina fez um recorte das dificuldades de ter depressão e, saindo dos clichês sobre o tema, ela optou pelo ponto-de-vista do companheiro de Lou, Caio. Depressão é sempre um assunto delicado, pois vem carregado de uma série de estereótipos e pré-conceitos. Desta forma, acredito que seja um ótimo tema a ser abordado, pois há muito o que desmistificar dele. O conto mostra como Caio vê e, principalmente, como ele sente os problemas de sua companheira. Ainda bem: ele é otimista e não perdeu a esperança. 



Caleidoscópio


Sinopse: 
Conhecer o infinito nunca foi tão fácil para Júlia, até que Daniel a fez sentir que a beleza não precisa ser enxergada para ser contemplada na infinitude de quem eram.

Para ler no Kindle, clique aqui.

Eu gostava muito de brincar de caleidoscópio quando era criança. Achava muito interessante ver as combinações e os efeitos de luz e de cor que eles produziam. Assim, o título para este conto não poderia ser melhor pois, a cada vez que olhamos um caleidoscópio, vemos algo novo, percebemos algo novo, e é sempre bonito.
Este conto é narrado do ponto-de-vista de Júlia, irmã de criação de um menino cego, chamado Daniel. Mais uma vez, Nina aborda um tema difícil na estória, mas sob a perspectiva do outro, de quem vivencia a dificuldade pelo lado de fora. A forma como Júlia tenta enxergar o mundo (!) de Daniel é linda e me fez pensar que este é um tipo incondicional e raro de amor.
Quando Daniel menciona o elefante do seu livro de criança, eu me emocionei, e fiquei com vontade de conhecê-lo.

Dos dois contos, o "Caleidoscópio" é meu favorito. Mas, claro, ambos valem a leitura.
Se você baixou e leu os contos de Nina, fale com ela! Ela vai adorar receber seus comentários!

Aqui está sua página no Facebook.

Boa sorte no #brasilemprosa, Nina! :)



Posts Relacionados

Comente com o Facebook

0 comentários