Nos decepcionamos com J.K. Rowling

  Você já deve ter lido a respeito das últimas polêmicas envolvendo J.K. Rowling , de tweets antigos sobre sua opinião a respeito de mulhere...

 

Você já deve ter lido a respeito das últimas polêmicas envolvendo J.K. Rowling, de tweets antigos sobre sua opinião a respeito de mulheres transgênero ao polêmico lançamento de seu último livro. Depois de refletir sobre estes acontecimentos, não pude evitar uma incômoda sensação de decepção e, neste post, quero compartilhá-la com os seguidores do Perplexidade e Silêncio.

A primeira coisa que me chamou a atenção foi quando o fansite The Leaky Cauldron publicou uma carta aberta à autora, repugnando seus últimos comentários, onde ela disse que as mulheres trânsgenero não eram mulheres de verdade e, consequentemente, não deveriam exigir direitos iguais (fossem direitos civis ou humanos). Gostei, sobretudo, da parte da carta que menciona que J.K. Rowling escolheu um momento totalmente inapropriado para tais comentários, uma vez que o mundo está em pé de guerra contra o racismo, a discriminação e o uso inapropriado dos privilégios. Além de preconceito por si só, o comentário também foi inoportuno e desnecessário.
Logo em seguida, veio o posicionamento incrível de Daniel Radcliffe, que só pode ser lido aqui (em inglês, infelizmente não encontrei tradução em português).

E, para piorar, em outro tweet, J. K. Rowling demonstrou apoio a Maya Forstater, uma pesquisadora que veio a público dizer que pessoas transgênero não deviam ter direitos no Tribunal nem perante a Justiça.

Mas, para mim, a pior parte disso tudo foi que, não sou J.K. Rowling não se desculpou (tampouco repensou) seus comentários, mas emendou o lançamento de um livro, "Troubled Blood". Nele, um serial killer se veste de mulher para praticar seus crimes. Não apenas a autora deixou clara sua transfobia, como tenta capitalizar em cima dela. Isso, para mim, foi a gota d'água. E há registro de vários likes de J. K. Rowling em tweets que dizem que mulheres trans são apenas homens vestidos de mulher.

Nota: este post foi escrito no final de Setembro de 2020. Pode ser que mais eventos tenham acontecido desde então que não foram contemplados neste post.

Mulheres trans, em particular, são ativamente prejudicadas pelos mitos que Rowling está perpetuando. Em junho, um senador dos EUA a citou enquanto bloqueava ativamente um projeto de lei que teria permitido que as pessoas LGBTQ+ tivessem a proteção dos direitos civis, prejudicando todas as pessoas trans, gays e bissexuais em seu país. A ideia de que mulheres trans são na verdade “homens vestidos” permite que as pessoas tenham nojo delas. As mulheres transexuais na vida real muitas vezes enfrentam a violência real dos homens como retaliação por sua mera existência. Em algumas partes dos Estados Unidos, homens são declarados inocentes de assassinato, mesmo quando é comprovado que os assassinatos foram cometidos por causa de sua intolerância por pessoas diferentes deles.

Para mim, é impensável e inaceitável que, em pleno 2020/2021, preconceito e discriminação sejam encarados com nada menos do que repulsa. Sobretudo quando tal discriminação vem de um ídolo da nossa geração, que nos presenteou com Harry Potter e influencia o pensamento e a vida de milhões de jovens. E mais decepcionante ainda é o posicionamento arrogante da autora frente às reações que obteve. 

Eu estou profundamente decepcionada.

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

2 comentários