Cinco sugestões de leitura dos meus seguidores no Instagram

Hoje o post não foi feito por mim, e sim, por vocês! Recentemente, perguntei aos meus seguidores no Instagram: Qual foi o melhor livro ...



Hoje o post não foi feito por mim, e sim, por vocês! Recentemente, perguntei aos meus seguidores no Instagram: Qual foi o melhor livro que você já leu? Separei as cinco recomendações que mais me chamaram a atenção e as compartilho aqui com vocês.
E, aliás, meu Instagram é @perplexidadesilencio.

"O Reverso da Medalha", de Sidney Sheldon
Recomendado por @acarneiro09
Um dos títulos mais populares e mais vendidos de Sidney Sheldon, recentemente foi reeditado para uma nova geração de fãs. Kate Blackwell é uma das mulheres mais ricas e poderosas do mundo. Ela é um enigma, cercada por muitas perguntas não respondidas. Seu pai era um garimpeiro de diamantes  e sua mãe era filha de um comerciante afrikaaner (descendentes germânicos na África do Sul). Por causa desta combinação cultural, a própria concepção de Kate foi um ato de vingança, carregada de ódio. Nas celebrações extravagantes de seu nonagésimo aniversário, há brindes de um juiz da Suprema Corte e um telegrama da Casa Branca além dos fantasmas de amigos ausentes e de inimigos. Sidney Sheldon é um dos contadores de histórias mais populares do mundo. Este é um de seus romances mais amados, um suspense compulsivamente legível, repleto de suspense, intriga e paixão. Ele vai recrutar uma nova geração de fãs para a sua escrita.

"Eu, Robô", de Isaac Asimov
Recomendado por @gc_gustav0
O livro foi escrito entre os anos de 1940 e 1950 e Asimov imaginou que, por volta dos anos 1990 a 2000, o mundo já teria sido dominado pela presença de robôs e os seres humanos já estariam vivendo em outros planetas, além da Terra. Tais robôs possuem cérebros e emoções e, por isso, estão sujeitos a certas leis (As Três Leis da Robótica), leis estas que visam reafirmar a segurança dos humanos frente esta inteligência dos robôs.
O livro é composto por nove contos e todos eles estão interligados pela figura da Dra. Susan Calvin, uma psicóloga de robôs.
As mesmas personagens vem e vão ao longo dos nove contos e os dilemas éticos e tecnológicos envolvendo os robôs vão ficando cada vez mais complicados, culminando com o excelente conto chamado "Evidência", onde os limites entre humanos e robôs não são mais percebidos.
Para ler mais sobre este livro, navegue pelos posts abaixo:

"The Soul Seekers, vol.1: Sonhos", de Alyson Noël
Recomendado por @blackmoonvibez
Coisas estranhas estão acontecendo com Daire Santos. Os corvos zombam dela, pessoas brilhantes a perseguem, o tempo pára e um garoto bonito com olhos azuis sobrenaturais assombra todos os seus sonhos. Temendo pela sanidade da filha, a mãe de Daire a envia para morar com a avó que ela nunca conheceu. Sua avó é uma mulher que reconhece as visões pelo que realmente são, pois é uma Buscadora de Almas, e pode navegar pelos mundos entre os vivos e os mortos. Lá, nas planícies empoeiradas de Enchantment, Novo México, Daire se propõe a aproveitar seus poderes místicos. É quando ela conhece Dace, o garoto dos seus sonhos (literalmente), mas ainda não sabe se ele é aliado ou inimigo.

"As Crônicas do Matador do Rei, Vol.1: O Nome do Vento", de Patrick Rothfuss
Recomendado por @vini.meneghin
Se você ainda não leu este livro, está marcando bobeira. Trata-se do primeiro volume de "A Crônica do Matador do Rei", onde somos apresentados ao protagonista Kvothe. Um dia, enquanto toma conta de sua hospedaria, a Marco do Percurso, Kvothe recebe a visita de um viajante que se autodenomina Cronista. Através desta conversa, o leitor fica conhecendo a fantástica e mágica jornada de Kvothe.
Neste livro, Kvothe fala sobre seu passado na trupe itinerante Edena Ruh, que acabou conduzindo-o aos estudos na Academia. Lá, Kvothe aprende uma série de feitiços e teorias, que o tornam ainda mais apaixonante. Em paralelo, ele sai em busca dos Chandrianos, para completar uma balada que seu pai compunha antes de morrer.
Para saber mais sobre este livro, veja também:

"Americanah", de Chimamanda Ngozi Adichie
Recomendado por @dehmundin
Nascida em Enugu, na Nigéria, ela é a quinta de seis crianças igbo. Ela estudou Medicina por um ano e meio, quando decidiu ir para os Estados Unidos formar-se em Ciências Políticas. Também formada em Escrita Criativa e Estudos Africanos, Chimamanda logo tornou-se referência quando o assunto é raça, empoderamento feminino e preconceito.
"Americanah" é seu terceiro romance, publicado em 2013. A obra conta a estória de Ifemelu, uma nigeriana também igbo que decide mudar-se para os Estados Unidos, não só por causa da perspectiva de obter um estudo melhor e, consequentemente, um bom emprego, como também na tentativa de encontrar um lugar ao qual se sinta pertencente. O livro começa anunciando que Ifemelu, depois de treze morando nos Estados Unidos, decide retornar à Nigéria, a despeito de todo o ceticismo de amigos e familiares próximos, que acreditam ser uma decisão errada.
Para saber mais sobre este livro, veja os posts abaixo:

Se você tiver alguma outra sugestão de leitura, deixe aí nos comentários ou me siga lá no Instagram, assim você pode participar do próximo post.

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

0 comentários