E agora?

by Ana Luísa Pinto Faz um tempo que estes pensamentos estão me rondando, e eu os ignorei por bastante tempo - dois anos, um pouco mais...

by Ana Luísa Pinto

Faz um tempo que estes pensamentos estão me rondando, e eu os ignorei por bastante tempo - dois anos, um pouco mais ou um pouco menos, não sei. Nos últimos dias, eles se aproximaram com mais força e, hoje, quando acordei, meu coração estava pesado. Porque eu soube, como um grito silencioso, que chegara o dia de enfrentá-los. O dia do início da luta.

Bom, acontece que estou perdendo.

Sempre fui do tipo de pessoa que tem um plano. E se tudo desse errado? Eu tinha um plano para isso também. E um terceiro, caso fosse necessário. E, mais que tudo, fui do tipo de pessoa que sabia o que queria. Mesmo em meio à tragédia, o que me firmava no chão e me salvava da loucura era este saber. Eu sabia, respirava fundo, e estava tudo bem.

E agora? Pois é, me pergunto isso também: e agora?

Acreditei que, nesta altura da minha vida (ou melhor, neste comprimento dela), eu teria encontrado meu caminho. Me perdi ali no meio do percurso, mas encontrei uma estradinha e prossegui. Para onde?, é o que venho me perguntando todos os dias. Continuo andando, mas não faço muitas idéias de para onde estou indo.

Faz um tempo que continuei me dedicando a diversas possibilidades, mas sem muitas expectativas para o futuro. Vamos seguindo, pensei, e ver o que acontece. Mas muitas destas possibilidades perderam sentido agora, quando penso melhor sobre elas. E me sinto tão triste que tenho medo de chorar e provocar uma ruptura em mim.

Me parabenizaram pelo meu aniversário e me perguntaram se eu estava feliz. Tive vergonha de responder que não sabia muito bem pelo que eu estava sendo parabenizada - veja bem, não estou insatisfeita com o presente. Estou assustada com o futuro, muito assustada, com medo de descobrir que não cheguei a lugar nenhum.


Posts Relacionados

Comente com o Facebook

1 comentários

  1. Oi, Ruh!

    Ahh, nada como não ter uma direção, né? Eu tenho fases. Há fases ótimas, nas quais acho tudo incrível, que tudo está dando certo e que estou feliz. Mas sempre há as fases que nem quero abrir os olhos de manhã e encarar o dia. Queria mesmo ficar enterrada na minha cama, deixando o mundo passar. Essa coisa de "vamos seguindo" é o que a gente mais faz, né? É tipo uma conformação sobre tudo o que nos acontece. Acontece algo ruim? Vamos seguindo. Acontece algo mais ou menos? Vamos seguindo. E seguimos. É engraçado, a gente vive falando que "seguir em frente" é difícil, mas quantas situações cotidianas, sem que nem percebamos, nós seguimos em frente? Uma resposta grosseira de alguém, uma nota ruim numa prova, um cliente mau-humorado, a chuva que nos atrasa... Seguimos tanto em frente. É como se colocássemos os nossos sentimentos no automático, porque achamos que, em algum momento, iremos esbarrar no nosso destino final e ter alguma alegria. Mas, raramente, ela vem. Raramente conseguimos plenamente responder a alguém sobre nossa felicidade. E o que a gente faz? Continuamos a ~nadar~ seguir em frente.

    Enfim, escrevi tudo isso, porque compartilho desse sentimento também: o do cansaço de ter certeza das coisas. E dizer, também, que estou aqui, viu? Sinto, às vezes, que somos uma só pessoa, sabe? Mas que, por algum motivo, nossa alma se fragmentou. E, daqui eu escrevo, e daí, você escreve. Mas, no fundo, somos uma só.

    Sobre o futuro: há uma música que tem me acompanhado nos meus dias, cujo último verso é: "a vida só se dá pra quem se deu". Eu sei que a vida bate na gente sem parar, mas precisamos bater nela de volta, sabe? Dizer que estamos aqui pra viver, pra aproveitar, e não só pra cair de cara no chão. Então, minha querida Ruh, se dê pra vida. Bata nela, sim. Devolve o que ela tá te fazendo sentir - mas, veja bem, é pra fazer tudo melhorar. Se tudo tá muito ruim, então saia da rotina e vá pra um lugar que você sabe que vai se sentir incrível e em paz. Se onde você trabalha é um caos, vá pra um lugar onde possa ficar sozinha e se reabastecer de silêncios. E, claro, siga em frente. Mas não deixe que esse "siga em frente" acabe contigo. O melhor de seguir em frente é que você pode renovar tudo o que quiser ;) (Aliás, vai ter post meu no fim de semana sobre isso, haha xD).

    Já escrevi demais haha. Desculpa. Nossa, eu e minhas bíblias em forma de comentários!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir